Trombose após viagens longas. Dr. Claudio concede entrevista à ZH.

De volta de uma viagem à Europa com a apresentadora da Globo, o advogado Túlio Gadêlha, foi parar no hospital surpreendido ao investigar uma dor muscular e descobrir que estava com trombose, o problema também chamado de "síndrome da classe econômica".
A trombose é a formação de um coágulo sanguíneo dentre de uma veia, e ocorre mais comumente nos membros inferiores, explica o presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular Regional Rio Grande do Sul (SBACV-RS), Cláudio Nhuch.

O desenvolvimento de um caso pode se dar por vários motivos, entre eles, decorrência de doenças de coagulação, após traumas em que a pessoa precisou ser imobilizada com gesso ou em casos de repouso das pernas, quando não há retorno venoso — por isso ficou conhecida como “síndrome da classe econômica”, uma vez que em viagens longas, nesse assentos, o viajante costuma ter menos espaço para movimentar ou esticar as pernas.

— Para que o sangue retorne da perna para o coração, ele depende de uma caminhada: do bombeamento dos músculos da panturrilha, e da respiração, que levam o sangue para o tórax — diz Nhuch. — Quando a pessoa fica muito tempo sentada, sem se movimentar, sem se hidratar ou faz uso de bebidas alcoólicas e medicamentos para dormir, ela faz exatamente o contrário do que deveria — alerta o especialista.

A doença pode acarretar em complicação quando um desses coágulos formados nas pernas entra na circulação e vai para o pulmão, ocasionando embolia pulmonar, que pode até provocar a morte.
Como evitar
Caminhar a cada duas horas ou movimentar os membros inferiores, flexionando e estendendo os pés.
Também é possível fazer uso de meias elásticas de compressão para evitar o problema.
Quem é mais vulnerável
Pessoas com histórico familiar de trombose, varizes nas pernas, obesos e gestantes. Geralmente, o problema também acomete pessoas de mais idade.
Em jovens com predisposição familiar, o anticoncepcional pode desencadear o problema. Não é que o contraceptivo cause trombose, mas em pessoas predispostas, ele pode ser um fator desencadeante.
Tratamento
Feito com anticoagulantes, que são tomados em um período de três a seis meses. Quem teve o problema uma única vez deve usar meias de compressão sempre em voos superiores a seis horas.

*Com informações de Estadão Conteúdo
Por:Camila Kosachenco
Fonte:Jornal Zero Hora

Últimas Notícias

Informe

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR - SBACV RS 
REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL 
Av. Ipiranga 5311 sl. 108 / AMRIGS / CEP: 90610-001
vascular@sociedadesonline.com.br
Copyright © 2016 - SBACV RS - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Dableo Comunicação

Vascular - Regional RS - Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular